Indefinição do PT na Bahia cria confusão e beneficia ACM Neto


Ex-prefeito de Salvador ACM Neto.

Porto Velho, RO - O anúncio do PT de que o candidato do partido à sucessão do atual governador Rui Costa será o secretário de Educação, Jerônimo Rodrigues, fez com que ganhasse ainda mais força a candidatura do ex-prefeito de Salvador ACM Neto (União Brasil, ex-DEM).

A conta é simples: sem um candidato com nome conhecido, como o ex-governador e ex-ministro de Lula Jaques Wagner, ACM Neto teria caminho livre para a eleição na Bahia.

Segundo as últimas pesquisas eleitorais, Wagner é o único pré-candidato do PT que faz frente à candidatura de ACM Neto, com o ministro da Cidadania do governo Bolsonaro, João Roma (Republicanos), em terceiro nas intenções de voto, mas distante do ex-prefeito de Salvador.

O senador Otto Alencar (PSD), que também foi considerado uma possibilidade para ganhar o apoio do PT para concorrer ao governo do estado nordestino, anunciou que vai tentar ser eleito novamente para o Senado, cargo que ocupa atualmente. Com Otto fora da disputa pelo governo, ACM Neto fica com um pé no Palácio de Ondina.

Desconhecido é hábito


Para o presidente do PT da Bahia, Éden Valadres, a escolha de candidato desconhecido “não é novidade”. Segundo ele relatou à ádio A Tarde, da Bahia: “Para nós, (candidato desconhecido) não é uma novidade. 

Em 2006, tivemos esse desafio, com a campanha de Jaques Wagner, e também em 2014 com Rui Costa, quando nos propusemos esse desafio, o desafio da inovação , da renovação, da apresentação de um quadro novo da política baiana”.

Fonte: Por Tiago Vasconcelos

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu