Doenças cardiovasculares matam mais mulheres do que câncer de mama s-ca


Somente 14% das mortes de mulheres têm como causa o câncer de mama e isso se deve aos programas para prevenção à doença.| Foto: Bigstock

Porto Velho, RO - Mesmo havendo uma diminuição das doenças cardiovasculares como infarto e AVC nas mulheres, elas continuam sendo a principal causa de morte deste grupo, e afetam menos os homens. É o que explica Walkiria Ávila, cardiologista e coordenadora do Núcleo de Ensino e Pesquisa em Cardiopatia, Gravidez e Aconselhamento Reprodutivo do Hospital das Clínicas da USP.

"A mulher, de forma geral, acha que infarto é coisa de homem. Em 850 mulheres que nós perguntamos 'Do que você acha que vai morrer?', 60% achavam que iriam morrer de câncer de mama e somente 18% achavam que seria por doença do coração. E é exatamente o contrário", explica a cardiologista.

Segundo ela, somente 14% das mortes de mulheres têm como causa o câncer de mama e isso se deve aos programas para prevenção à doença. Já no caso dos problemas cardiovasculares, as campanhas e a conscientização de maneira geral é muito mais escassa.

Sintomas diferentes

Em entrevista ao Jornal da USP, Walkiria também fez um alerta para as diferenças nos sintomas sentidos por homens e mulheres. Esse é um fator que pode retardar a procura por profissionais da saúde e prognósticos: "Na mulher, os sintomas de infarto são minimizados. No homem, pode haver uma dor no peito, e na mulher pode não haver. A mulher pode ter uma dor na mandíbula, dor nos braços e até uma dor nas costas. E isso passa como se fosse uma dor na lombar", disse.

Além disso, a hipertensão, o tabagismo, a obesidade e a depressão contribuem para acelerar essas condições. Gravidez e questões hormonais também foram apontados pela cardiologista como momentos de necessária atenção: "Isso já começa na puberdade com o uso dos anticoncepcionais por algumas mulheres. Na gravidez existe a pré-eclâmpsia, que é a hipertensão da gestação e é a principal causa de morte obstétrica. Depois, na menopausa, há a perda do estrógeno, o protetor cardiovascular, e as doenças começam a se somar".

Apesar disso, a cardiologista reforça que uma boa dieta alimentar e atividades físicas são pilares preventivos das doenças do coração e até cânceres

Fonte: Por Equipe Sempre Saúde

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu