PREPARE-SE Semana com frio intenso e risco de geada coloca produtores de café em alerta

 

Porto Velho, RO - A semana começa com alerta climático: de acordo com a meteorologia, entre terça (17) e quarta-feira (18), as condições são favoráveis à ocorrência de geada em áreas do Sul, Sudeste e de Mato Grosso do Sul. Essa possibilidade preocupa, sobretudo, os produtores de café, que foram muito afetados no último ano pelas variações climáticas.
De acordo com o agrometeorologista da Climatempo, Celso Oliveira, no Paraná, o frio intenso já aparece na madrugada desta terça-feira, e se espalha a partir de quarta pelo Sudeste e o Centro Oeste. segundo Oliveira, nessas duas regiões, o risco de geada em lavouras de café é mais pontual. Já no Paraná, há risco de geadas mais extensas.
Segundo Oliveira, as simulações meteorológicas mostram temperaturas entre zero e 3 °C em partes do Cerrado onde há produção de café arábica. No Paraná, os termômetros podem registrar esses mesmos níveis, mas em áreas muito maiores, podendo provocar o aparecimento da geada não apenas ao café, mas também ao milho, feijão e pastagens.Centro-Sul terá dias congelantes nesta semana
O agrometeorologista lembra que o frio pode atingir também cafezais no sul de Minas Gerais. “Serão muitos dias de temperaturas baixas, mas as mais letais para o café devem ocorrer entre quarta e quinta-feira”. Oliveira afirma, porém, que não será o mesmo frio do ano passado e chama atenção para diferenças que podem ocorrer de um município para outro, e até de fazenda para fazenda, conforme o posicionamento da propriedade. “Em Três Pontas, por exemplo, a expectativa é de temperatura de até 0,5 °C, mas em Nova Rezende, não muito distante, já está prevista para 2,5 °C ou superior a 4 °C”, finaliza.
De acordo com o professor e pesquisador da Universidade Federal de Lavras (MG) José Donizeti Alves, se as temperaturas se consolidarem como o previsto, o risco de geada é pequeno. No entanto, ele faz um alerta quanto ao risco dos ventos frios que podem afetar o desenvolvimento das gemas, que são formações iniciais do fruto e novas ramas. Segundo ele, o frio nesse momento do ciclo do cafeeiro pode interferir na definição entre gemas reprodutivas e vegetativas, afetando o potencial produtivo da próxima safra.
A analista de Agronegócios do sistema Faemg, Ana Carolina Alves Gomes, afirma que essa é a grande preocupação da cafeicultura mineira, que já sofreu nas duas últimas safras com a seca e com as baixas temperaturas. “A geada tem impacto principalmente nas próximas safras do café arábica”. A analista lembra que os cafeicultores devem agir preventivamente, utilizando o seguro agrícola em suas áreas produtivas.
Fonte: Canal Rural 

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu