FECHAMENTO DO DIA Milho: mercado tem lentidão e preços pressionados por colheita


O mercado brasileiro de milho registrou preços mais baixos para a safrinha nesta segunda-feira (27).

Porto Velho, RO -  De acordo com o analista Fernando Henrique Iglesias, da consultoria Safras & Mercado, houve inexpressiva fluidez dos negócios ao longo do dia. O viés é claramente de queda no curto prazo, avaliando a tendência de intensificação do trabalho de campo durante o mês de julho.

“Os consumidores domésticos ainda operam em compasso de espera, aguardando a entrada mais significativa da oferta de safrinha no mercado para enfim melhorar o posicionamento dos estoques”, disse Iglesias.

No Porto de Santos, o preço ficou entre R$ 90 (compra) a R$ 94 (venda) a saca (CIF) para junho. As mesmas cotações foram registradas no Porto de Paranaguá.

A saca ficou em R$ 85/R$ 89 em Cascavel (PR). Na Mogiana, em São Paulo, preço de R$ 84/R$ 88. Em Campinas (SP), preço CIF de R$ 87/R$ 90 a saca.

Já em Erechim (RS), o preço da saca de milho foi de R$ 93/R$ 95. A cotação em Uberlândia (MG) ficou em R$ 80/R$ 81. Rio Verde (GO), o preço da saca (CIF) esteve em R$ 78/R$ 82. Rondonópolis (MT) registrou cotações de R$ 70/R$ 75.

Milho em Chicago

A Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT) fechou a sessão desta segunda com preços acentuadamente mais baixos para o milho. Fatores como o clima favorável ao desenvolvimento das lavouras norte-americanas, bem como o indicativo de que o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) possa indicar uma área cultivada de milho na temporada 2022/23 acima da projetada inicialmente contribuíram para pressionar as cotações.

Na sessão, os contratos de milho com entrega em setembro fecharam a US$ 6,61 1/4 por bushel, recuo de 21,50 centavos de dólar, ou 3,14%, em relação ao fechamento anterior. A posição dezembro de 2022 fechou a sessão a US$ 6,53 por bushel, baixa de 21 centavos, ou 3,11% em relação ao fechamento anterior.

Fonte: Por Agência Safras

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu