Meio milhão de refeições foram servidas em Rondônia, ao custo de R$ 2, em um ano e um mês de execução do “Prato Fácil”


Cardápio variado é disponibilizado para famílias vulneráveis de segunda a sexta-feira, das 11h às 15h, nos restaurantes credenciados

Porto Velho, RO - Idealizado pela Secretaria de Estado da Assistência e do Desenvolvimento Social – Seas, o programa “Prato Fácil” iniciou o atendimento em 17 de maio de 2021, com cinco restaurantes privados de Porto Velho, previamente credenciados por meio de edital de chamamento público.

A proposta é fornecer refeições saudáveis e nutritivas, ao custo de R$ 2 (dois reais), para a população em situação de vulnerabilidade social cadastradas no CadÚnico e constantes na base de dados do Sistema Prato Fácil, desenvolvido pela Superintendência Estadual de Tecnologia da Informação e Comunicação – Setic.

O valor total do prato feito ou marmitex é complementado pelo governo estadual, com recursos do Fundo Estadual de Combate e Erradicação da Pobreza – Fecoep, vinculado à Seas. Entre os beneficiários da Capital estão o mototaxista Alberto Costa, morador do bairro Aponiã, pai de três filhos, que costuma almoçar no estabelecimento mais próximo de suas corridas centrais ou pelos bairros.


Maria Gonzales, de Guajará-Mirim, destacou a qualidade da alimentação a que ela e os filhos têm acesso

No início do programa, em Porto Velho eram ofertadas 1.500 refeições diárias, mas com o sucesso na Capital a partir deste ano o Governo ampliou o número de beneficiários, expandindo o credenciamento de restaurantes para Ariquemes, Cacoal, Guajará-Mirim e Ji-Paraná. Em Vilhena o processo ainda está em andamento.

Foi estipulado como meta a oferta de 300 refeições por município. Já na Capital, o número de estabelecimentos credenciados passou para nove e o total de refeições ofertadas por dia subiu para 3 mil, totalizando 4.200 nos seis municípios, e pode chegar a 4.500 após a conclusão do processo em Vilhena.

“Para mim este programa é uma bênção. As donas de casa que poderão economizar gás, dinheiro e tempo, sem precisar ir para a cozinha”, disse Maria Gonzales, mãe de quatro filhos, residente em Guajará-Mirim, destacando a qualidade da alimentação que agora ela e os filhos têm acesso por um preço acessível, refletindo também na qualidade de vida.

Em um ano e um mês de execução, o governo já disponibilizou 390.653 refeições pelo “Prato Fácil” em Porto Velho e 94.413 nos restaurantes credenciados no interior do Estado, totalizando 485.066 até o dia 23 deste mês. Com base nos números diários, até o dia 30 serão mais de meio milhão de refeições disponibilizadas ao custo de R$ 2 para famílias em situação de vulnerabilidade socioeconômica, no Estado.

O investimento inicial do governo com o programa na Capital foi estimado em R$ 4.946.040,00 (quatro milhões, novecentos e quarenta e seis mil e quarenta reais), aumentando para R$ 13.223.160,00 (treze milhões, duzentos e vinte e três mil e cento e sessenta reais) com o credenciamento de mais cinco restaurantes, enquanto que, com a expansão para os cinco municípios são previstos outros R$ 6.263.820 (seis milhões, duzentos e sessenta e três mil, oitocentos e vinte reais), somando R$ 24.433.020,00 (vinte e quatro milhões, quatrocentos e trinta e três mil e vinte reais).


Beneficiários podem decidir se comem o prato feito no estabelecimento ou levam para suas casas em marmitex

Em todos os estabelecimentos credenciados, o atendimento acontece de segunda a sexta-feira, das 11h às 15h. O cardápio montado por nutricionistas é variado e inclui uma fruta. Ao adquirir a refeição, o cidadão pode decidir pelo consumo no local (prato feito) ou levar para casa (modalidade para viagem). Inclusive moradores de outros municípios também podem se alimentar, caso estejam em viagem e sejam cadastrados no CadÚnico.

“Com o valor de R$ 2, a gente pode comprar. Esse programa é excelente e ajuda bastante em vários sentidos, pois temos refeições saudáveis e nutritivas a um preço acessível, sem precisar fazer”, disse Valdirene Kapran, que mora com três filhos na área rural de Cacoal. Em média uma vez por semana ela adquire a refeição na cidade quando precisa resolver alguma situação.

Também mãe de três filhos, a zeladora Alessandra Maria Montes Ferreira, do bairro Ronaldo Aragão, afirmou que com o Prato Fácil; não necessita mais levar marmita para o trabalho e adquire a refeição no restaurante mais próximo, cadastrado pelo programa.

Além de garantir alimentação saudável e nutritiva a um preço simbólico para famílias vulneráveis, o “Prato Fácil” contribui gerando emprego e renda, tanto para quem fornece os produtos que vão à mesa quanto para os estabelecimentos, os quais tiveram que contratar mais funcionários para atender à demanda, como informou a proprietária do restaurante credenciado em Cacoal, Osvaldina Jonjob Milomes.

“Os empresários que fazem parte deste programa, servindo às pessoas, também são beneficiados e quem está desempregado tem a chance de conseguir um trabalho nesses estabelecimentos”, afirmou, completando que teve que contratar mais quatro funcionários para atender às demandas.

Fonte: Governo de Rondônia

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu