‘Não adianta plantar 10 milhões de árvores sem inclusão social’, diz o presidente da Caixa


Pedro Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal - Foto: Isac Nóbrega.

Porto Velho, RO - Esta semana, a Caixa lançou uma série de iniciativas em torno de práticas ESG, voltadas à responsabilidade social, ambiental/climática e de governança. Além de financiamentos específicos a empresas que atuam nesse setor, o banco também aposta num “selo” para municípios que adotem essas boas práticas.

Em entrevista exclusiva ao Diário do Poder, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, explica que esses esforços têm efeito prático na vida do cidadão, além de impactar também as empresas e até os municípios brasileiros.

No ano passado, por exemplo, a Caixa aderiu ao programa Adote um Parque, do Ministério do Meio Ambiente, e se comprometeu a proteger 3,5 milhões de hectares de floresta amazônica. À época, Guimarães classificou o programa como “o maior programa de preservação ambiental do mundo” e agora a Caixa lançou uma série de iniciativas em torno do tema.

“Muito importante destacar o que já foi feito. Primeiro, mais que o Adote um Parque, é o Caixa Florestas. Já fizemos 11 programas dentro do Caixa Florestas. Nós temos 96 milhões de reais de investimento; beneficiando 1,86 milhões de pessoas. Foram preservadas 2,6 mil nascentes de rios, 1,1 milhões de árvores plantadas, tudo em 119 municípios, de nove estados. Isso já aconteceu”, comemorou.

Fonte: Por Tiago Vasconcelos

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu