PERFIL A dama do trator rosa: conheça a produtora rural que virou agroinfluencer


Andressa Bordin: produtora de arroz e soja no Rio Grande do Sul. Foto: arquivo pessoal

Porto Velho, RO - Com mais de 200 mil seguidores em seu perfil no Instagram, a produtora gaúcha Andressa Bordin, de 31 anos, tornou- se conhecida Brasil afora e em países como Portugal, Argentina, Chile, Estados Unidos e até do Irã. O que a fez ganhar tanta notoriedade foi o empenho investido para conseguir obter um trator pintado com sua cor preferida: rosa.

Depois de ouvir muitas negativas de fabricantes de máquinas agrícolas para que atendessem ao seu pedido inusitado, em 2016 uma marca então estreante no mercado brasileiro, a LS Tractor, comprou a ideia de Andressa e realizou o seu sonho.

A partir dessa conquista, Andressa percebeu que tinha força suficiente para alçar voos mais altos. Ela aproveitou a oportunidade de ser a única proprietária de um trator rosa no país e ousou, não só na lida em campos de arroz e de soja, como também no campo digital.Conheça Gustavo Tubarão, o agroinfluencer que está dominando as redes sociais

Campo invade as redes sociais


Foto: arquivo pessoal

Pensar a vida no campo e a conectividade como realidades distintas é um conceito ultrapassado. De acordo com uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Marketing Rural e Agronegócio (ABMRA), 77% dos agricultores têm um smartphone e estão presentes nas redes sociais.

Fazendo da tecnologia uma ferramenta para seu próprio trabalho, Andressa entrou de cabeça nas mídias digitais, utilizando principalmente o Instagram. Os seguidores da produtora rural se vêem dentro de plantações, lidando com animais através das telas. Com imagens, música e também a ajuda do TikTok, ela aproxima o dia a dia do agro dos habitantes da cidade.

“Aqui eu tiro leite, faço queijo, tenho criações de bichos, estou sempre na lavoura , tenho horta, faço bolo para fora, sou mãe, dona de casa e ainda vendo lingeries”, contou a influencer.

Andressa acredita que o impulsionamento de seguidores acontece devido à curiosidade das pessoas. Atualmente, seu maior público é de mulheres entre 18 e 40 anos.
Mulheres do campo

Uma propriedade de 280 hectares, voltada à produção de arroz e soja, em São Martinho da Serra (RS), foi onde Andressa Bordin começou sua vida no campo.

Filha de um comerciante e de uma enfermeira, ela não tinha convívio com o agro até ir viver com a família do marido, Ivan, a quem conheceu numa edição da Expointer, maior feira agropecuária do Rio Grande do Sul.

“Cada dia era um dia difícil. Comecei tirando o arroz da lavoura para o caminhão. Atuei na grade niveladora para a plantadeira (minha preferida!), pulverizador, colheitadeira, montagens das taipas e assim por diante. Nem dormia direito, ansiosa para ir à lavoura de novo”, conta ela.

A influenciadora destaca que, além da cor rosa, ela tem também paixão e admiração pelo trabalho que as mulheres desempenham na terra, quando têm oportunidade. “As firmas rurais deveriam investir nas mulheres, com cursos sobre o dia a dia no campo, demonstração de máquinas, curso de aplicação de defensivos, essas coisas que estão chegando também junto com a modernidade, com a tecnologia. Nem sempre somos lembradas, mas temos grande importância no meio rural, pois nada é decidido sem a nossa opinião”, conta a produtora rural.

Por acreditar que o conteúdo digital tem o poder de impactar, de trazer conectividade para dentro da propriedade, Andressa Bordin se joga no mundo digital como influenciadora para um novo legado. “Nós, mulheres rurais, somos mulheres surreais”, diz.


Foto: arquivo pessoal

Fonte: Por Lisiani Mottini, de Porto Alegre

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu