TECNOLOGIA Aplicativo oferece análise de nutrientes da planta


Para evitar o desperdício com adubação foliar, um novo aplicativo de celular oferece serviço de análise de nutrientes da planta.

Porto Velho, RO - A ferramenta reduz o custo com laboratório e o resultado fica pronto na hora.

Basta um clique na câmera do celular e em poucos segundos é possível saber se há deficiência de adubação. O scanner é feito através de um aplicativo que identifica por colorimetria os macronutrientes da folha.

A tecnologia foi desenvolvida por uma empresa de fertilizantes com base em Israel. A ferramenta evita o desperdício de produto, aplicando dosagem específica para cada área plantada.

“Esse novo software que nós estamos trazendo, ele tenta facilitar a vida do agricultor em todos os sentidos onde através de algoritmo de inteligência artificial, utilizando imagem, onde através, especificamente, da imagem com a foto de um celular qualquer, todos os celulares foram calibrados para poder ser utilizado. A gente consegue nessa foto entender qual a deficiência nutricional dos macroelementos primários, nitrogênio, fósforo e potássio, com uma foto, em dez segundos”, diz o diretor da israelense Haifa Group para a América do Sul, Gustavo Branco.

“Você tem uma economia de aplicação, uma assertividade maior no processo produtivo e, obviamente, um impacto ambiental menor, você não está gastando produtos desnecessariamente”, complementa.

O Brasil consome 8% de toda a produção mundial de fertilizantes, avaliada em 55 milhões de toneladas, mas importa 85% do insumo usado pelo agronegócio.

O potássio é o mais utilizado, representando 38%. Em seguida vem o fósforo, 33%, e nitrogênio com 29%.

Para diminuir a dependência de importação, uma saída é aumentar a eficiência da nutrição da planta. Os chamados fertilizantes especiais são uma espécie de concentrado, com uma formulação diferenciada. A solução oferece facilidade no manejo e pode trazer mais eficiência com menor quantidade de produto.

“É um conceito completamente diferente. Nós não lidamos em grandes quantidades e em lotes, em que você aplica no solo todo, usando muita água, e a maior parte nem chega na planta. A ideia com os fertilizantes especiais é aplicar exatamente nas necessidades da planta, é baseado em um conhecimento de agronomia. 

Estamos melhorando isso para planta através da aplicação foliar ou através da aplicação nas raízes. Então, os rendimentos são muito melhores e tem muito menos poluição”, afirma Motti Levin, CEO do Haifa Group.

A empresa planeja adquirir uma fábrica no Brasil para ampliar a atuação no mercado local.

Fonte: Por Flávia Macedo, de Holambra SP

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu