TECNOLOGIA Embrapa e Fundação Bahia lançam cultivar de algodão resistente a ramulária



Porto Velho, RO - A Embrapa e a Fundação Bahia realizaram o pré-lançamento de uma nova cultivar de algodão durante a Bahia Farm Show. A BRS 437 B2RF é uma cultivar transgênica com resistência múltipla a doenças, com destaque para a mancha de ramulária, considerada a principal doença do algodoeiro no país, demandando em torno de oito pulverizações de fungicidas por safra em cultivares mais suscetíveis à doença.

A nova cultivar também possui a tecnologia Bollgard II Roundup Ready Flex (B2RF), que confere resistência às principais espécies de lagartas que atacam o algodoeiro e ao herbicida glifosato em todas as fases de desenvolvimento da cultura.Zoneamento Agrícola para cultivo do algodão é publicado

Segundo a Embrapa, a BRS 437 B2RF possui fibra de alta qualidade e elevada produtividade, com o potencial produtivo de 6.015 quilos por hectare de algodão em caroço e 2.425 quilos por hectare de pluma. Tem ciclo médio a tardio e porte médio a alto.

É indicada para semeadura em abertura e meio do plantio, em condição de sequeiro ou irrigada, no cerrado dos estados da Bahia, Piauí, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Além, da resistência à ramulária, a 437 B2RF B2RF é resistente à doença azul, bacteriose e mosaico comum, além de ser moderadamente resistente ao nematoide das galhas.


Imagem: Fundação Bahia

Outros destaques


Durante a feira, a Embrapa Algodão também divulgou aos produtores da região a cultivar transgênica BRS 500 B2RF, de alta produtividade e produção de fibra branca de comprimento médio, resistente a lagartas e ao herbicida glifosato, com resistência à doenças, com destaque para resistência à mancha de ramulária e ao nematoide das galhas. Indicada para cultivo em áreas comerciais de elevada produtividade e áreas com incidência de nematoide das galhas.

Além disso, foram apresentadas ao público duas cultivares de gergelim: a BRS Anahí e a BRS Morena. De acordo com a Embrapa, a primeira possui desempenho agronômico superior às demais cultivares nas diferentes regiões do país, alta produtividade e características interessantes para a indústria, como sementes de película clara, bem maiores que as disponíveis do mercado, e adaptação à colheita mecanizada ou manual. A segunda é uma cultivar de gergelim de coloração marrom avermelhada, que proporciona sabor diferenciado para o consumo in natura e para a indústria alimentícia, com foco no mercado gourmet.

Nova cultivar de soja para o Matopiba

Na ocasião, também irá acontecer o pré-lançamento da cultivar de soja BRS 8383 IPRO, uma variedade de ciclo médio, hábito de crescimento indeterminado, com alto teto produtivo e estabilidade de produção mesmo em condições de seca e elevadas temperaturas desenvolvida pela Embrapa Cerrados e Fundação Bahia.

Fonte: Canal Rural

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu