A importância das narrativas no mundo dos negócios


A importância das narrativas no mundo dos negócios| Foto: Unsplash, Jason Goodman/Reprodução

Porto Velho, RO - Já defendi diversas vezes que, para alcançar uma carreira bem sucedida, profissionais devem “abaixar a cabeça” e trabalhar. Com isso, quero dizer que nada substitui o trabalho duro e que executar é, em última instância, o que separa os fazedores dos faladores.

Contudo, isso não quer dizer que não existam também outros fatores importantes para o sucesso da sua carreira ou empresa. O sucesso - seja lá o que ele significa para você - vem sempre de uma conjunção de diversos fatores.

Hoje, gostaria de dar ênfase no lado narrativo das empresas. Saber como contar boas histórias pode ser uma poderosa estratégia de diferenciação no mercado. Qual história os seus resultados contam? Qual jornada existe por trás dos seus dados?

Contar uma história poderosa por trás dos resultados da sua empresa pode ajudar, por exemplo, a reforçar a cultura e missão da sua empresa para todos os colaboradores.

Nós, humanos, estamos criando grandes histórias para nos organizarmos como sociedade há milhões de anos. Elas são uma forma de unificarmos o pensamento para grandes grupos de pessoas e de transmitirmos conhecimento de forma mais tangível.

Além disso, histórias podem também ajudar a comunicar ao mercado - clientes, parceiros, fornecedores, prospects, etc - a cultura, os valores, os próximos passos e quais os princípios fundamentais de negócio da empresa.

Entretanto, é importante ressaltar que narrativas não podem substituir resultados. Uma empresa sem resultados mas com uma ótima narrativa pode enganar o mercado durante algum tempo, mas o castelo de cartas uma hora vai cair, como aconteceu no caso da Theranos, que dizia revolucionar o mercado de exames médicos, atraiu centenas de milhões de dólares de investimento, mas nunca foi capaz de entregar resultados mínimos e, mais grave ainda, colocou em risco milhões de pessoas por causa de seus dispositivos que não funcionavam direito.

A narrativa deve ser, então, complementar a uma estratégia consistente. Elas devem jogar luz nos dados e nos resultados, jamais distorcê-los. Um bom storytelling pode potencializar números frios de uma planilha, mas não deve se tornar o principal negócio da sua empresa, é claro.

O seu storytelling deve ser sempre realista, inspirador e buscar traduzir dados complexos, números e gráficos em uma jornada clara para que colaboradores, clientes e demais stakeholders possam entender o momento atual da empresa e quais os próximos passos.

Fonte: Por Allan Costa

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu