Estar atento às fragilidades do cônjuge ajuda a não expor vulnerabilidades do outro


Dentro de um relacionamento pode ser que um dos cônjuges exponha vulnerabilidades do outro , causando constrangimento.| Foto: Bigstock

Porto Velho, RO - A vulnerabilidade dos cônjuges no casamento pode tornar a relação mais forte, como já conversamos aqui no Sempre Família. Porém, infelizmente, pode acontecer de um dos cônjuges, conscientemente ou não, expor a vulnerabilidade do outro para amigos, conhecidos e até desconhecidos, causando constrangimento e desconforto.

Conforme explica a psicóloga Maria Rafart, a vulnerabilidade pode ser compreendida como uma fragilidade, incoerência ou falha que alguém possua em algum aspecto de sua vida. O sobrepeso, altura baixa, salário pequeno, falta de alguma competência, características físicas ou não, podem ser sinais de fragilidade para alguém, ainda que para o outro não corresponda a um problema.

Portanto, respeitar o sentimento alheio, sem expô-lo, é fundamental para o bom convívio. “Há coisas que nós podemos melhorar, outras não. E não é pelo fato de termos alguma falha dentro de nós, um lugar mais frágil, que outra pessoa possa ter o direito de as explorar”, ensina a psicóloga.

E em um casamento, espera-se que as vulnerabilidades sejam aceitas e compreendidas pelo parceiro. Contudo, pode acontecer, ainda que não seja o desejável, que a fragilidade do próximo seja mal explorada pela outra pessoa, podendo transformar o vínculo em um relacionamento abusivo.

“Sucessivas ironias podem configurar um abuso no relacionamento do casal, principalmente se acrescido de um comportamento passivo agressivo, ou seja, quando um dos cônjuges se utiliza de brincadeiras de mal gosto para atingir o outro, justificando-as com frases como: 'Nossa, mas eu só estava brincando', 'Não estou fazendo nada' ou 'Você que fica se queimando à toa'", explica Maria.

Como conhecer os pontos vulneráveis do marido ou da mulher?


Para conhecer os pontos de vulnerabilidade, do parceiro, assim como de qualquer pessoa próxima, Maria Rafart explica que a convivência e o senso de observação bastam para percepção das fragilidades.

A psicóloga destaca que até mesmo o silêncio pode ser uma forma de comunicar uma fragilidade. “Quando um dos cônjuges não se sente confortável com alguma pessoa ou situação e prefere não participar de alguma confraternização ou viagem, obrigá-lo a se expor pode tornar o momento, que deveria ser de harmonia, em uma situação desconfortável”, exemplifica Maria.

Como prevenir futuros desentendimentos?

Se um dos cônjuges sentiu exposta sua vulnerabilidade sem que o outro tenha tomado consciência da ofensa, a psicóloga orienta que o ofendido se posicione a respeito. “De forma adequada e sem grandes afetações, o cônjuge deve pontuar ao outro que os comentários feitos o feriram, demonstrando que a conduta tomada pelo outro foi inadequada”, destaca ela.

Para se posicionar, é importante que o cônjuge ofendido não utilize de acusações sobre a outra pessoa, sob pena desta apresentar desculpas para a exposição da vulnerabilidade. Assim, é importante que sejam comunicadas, de forma direta e clara, as feridas causadas pela exposição das falhas e fragilidades, ainda que não as tenham sido apresentadas de forma intencional pelo outro. “Além de evitar novas acusações, o posicionamento requer verdade, clareza e certeza do que se fala, sem afetação emocional, para que não se perca credibilidade na mensagem que se quer transmitir”, conclui a psicóloga.

Tendo o cônjuge exposto inconscientemente a fragilidade do companheiro, como reparar?


A reparação de um erro ou o posicionamento do ofendido nem sempre precisa acontecer quando as coisas acontecem. Algumas situações mostram que responder ou buscar reparar imediatamente algum equívoco pode não ser o momento adequado, quando uma das partes se encontra tomado de emoção ou com uma atmosfera de discórdia.

Contudo, o erro deve sempre ser reparado com alguma atitude concreta, sem deixar que as ofensas fiquem mal resolvidas, contando que o tempo as cure. “Sempre que nós erramos, principalmente com nosso companheiro amoroso, é claro que temos o dever de reparar, quando identificamos o erro, claro”, acredita Maria.

Dicas para evitar a exposição das vulnerabilidades do cônjuge

Maria Rafart apresenta algumas dicas para que um dos cônjuges evite a exposição das vulnerabilidades do companheiro, seja em público ou privado no próprio relacionamento:

Na dúvida, fale menos. É importante sempre refletir sobre suas opiniões antes de colocá-las em público, assim evita expor o próximo desnecessariamente.

Evite brincadeiras sarcásticas. Seja em público ou privado, mesmo entre o casal, é importante que não se refiram com ironia a seus comportamentos, ao físico ou a qualquer aspecto do outro.

Desculpe-se. Ao perceber que você magoou seu parceiro, tenha a humildade de pedir desculpas e não repita comentários semelhantes.

Fonte: Por Sissy Zambão, especial para o Sempre Família

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu