Profissionais de saúde recebem capacitação para aplicação de vacinas


Profissionais recebem orientações para aplicação das vacinas

Porto Velho, RO - Na próxima segunda-feira (11) terá início a vacinação contra influenza e sarampo nos profissionais de saúde dentro das unidades municipais e dos hospitais particulares de Porto Velho. Para que o trabalho seja mais uma vez realizado com êxito, vários trabalhadores da área participaram de uma capacitação na tarde de quarta-feira (6), na secretaria Municipal de Saúde (Semusa).

“Hoje a gente traz aqui enfermeiros, técnicos em enfermagem, pessoal da saúde do trabalhador e da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH), entre outros, para uma capacitação, para eles conhecerem as vacinas, saber as reações vacinais, o que fazer diante de cada uma e, principalmente, que eles nos ajudem nesse intuito, de proteger os próprios profissionais”, destacou a gerente de imunização, Elizeth Gomes.

O objetivo, além da capacitação, é a prevenção dos profissionais, desafogar as unidades de saúde e fazer com que os trabalhadores não saiam dos seus locais de trabalho, mas que sejam vacinados no mesmo ambiente. “Isso facilita a vida deles e a nossa também, para evitar aglomerações nas unidades. A gente tenta fazer isso para que fique da melhor maneira possível”, comentou.

A enfermeira Surama Bastos participou da capacitação

INFORMAÇÕES

Durante o treinamento os profissionais recebem todas as orientações possíveis com relação a vacina que vão trabalhar, como administrar, os componentes, as reações, e qual a cepa que mudou, entre outras informações. “Sabemos que a cepa que mudou é a H3N2, que foi incluída na vacina da gripe este ano”, disse Elizeth Gomes.

Ela acrescenta que a vacina da influenza a ser aplicada é denominada trivalente, desenvolvida para combater os vírus H1N1, H3N2 e influenza B.

“Para nós é essencial que tenhamos multiplicadores dentro das unidades do município e particulares, pois quando chegar alguém com uma reação vacinal eu já tenho um profissional, enfermeiro ou técnico capacitado para atender o paciente, saber reconhecer os sintomas, acalmar a pessoa e informar que nas primeiras 24 horas alguma reação é esperada, mas que não precisa se preocupar”, finalizou a gerente de imunização.

Gerente de enfermagem do Hospital do Amor, a enfermeira Surama Bastos, que também participou da capacitação promovida pela Semusa, enalteceu a iniciativa.

“O conhecimento da sintomatologia das vacinas é algo que causa alguma estranheza na população. Muitas das vezes essas reações da vacina podem levar a população a uma unidade básica de saúde desnecessariamente. Um profissional bem instruído com relação a esses sintomas pós-vacina vai ajudar muito a evitar aglomerações nas unidades básicas e nos outros hospitais também”, avaliou.

Fonte: O Observador

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu