SANTA CATARINA Safra do pinhão deve aumentar 25%


Foto: Pixabay

Porto Velho, RO - Sementes graúdas e mais saborosas, colhidas no ponto correto de maturação. Este é o pinhão catarinense que está chegando às gôndolas dos supermercados a partir deste mês, quando inicia a colheita da semente no estado. A partir de levantamentos que os extensionistas da Epagri com os agricultores locais, estima-se um aumento de 25% na produção estadual em relação a 2021. A expectativa é colher mais de 6 mil toneladas na safra deste ano.

Consultoria aumenta safra de soja no Brasil em 1 milhão de toneladas
Mercado de sementes de soja teve crescimento de 40% em 20/21

Neste começo de safra, o preço pago ao produtor pelo pinhão está por volta de R$4,50 o quilo. Segundo César Oliveira de Arruda, extensionista rural da Epagri, a demanda está maior do que a capacidade colheita, fator que pode elevar o preço nas próximas semanas, mas que tende a se estabilizar entre final de abril e a primeira quinzena de maio, quando a oferta será maior.

A cidade de Painel, maior produtora do estado, estima colher entre mil a 1,5 mil toneladas, bem mais que as 800 toneladas colhidas em 2021.

“O município produz mais que isso, mas não consegue colher tudo porque falta mão de obra. A atividade é familiar e a coleta fica a cargo dos jovens, pois é necessário subir nas árvores para retirar a pinha”, afirma Arruda.

O extensionista explica que o fato de os produtores de pinhão serem os proprietários das terras tem um lado positivo: eles conhecem as araucárias e portanto sabem identificar o ponto de maturação das pinhas, permitindo que a colheita ocorra na data certa e garantindo um pinhão maduro, com sabor diferenciado, e consequentemente, mais valorizado.

A colheita deve durar cerca de três meses e meio, garantindo um bom volume. “Nossos produtores vão trabalhar de forma intensiva para colher o máximo que podem”. O extrativismo do pinhão representa importante fonte de renda para muitas famílias.

Os municípios que são os maiores produtores de pinhão do estado estão localizados no Planalto Sul Catarinense. A colheita em Santa Catarina iniciou no dia 1° de abril atendendo a uma lei criada em 2011 com o intuito de preservar a espécie.

Fonte: Canal Rural

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu