Brasil exporta 3,6 milhões de sacas de café em março, queda de 6%

 

Foto: Mapa/divulgação

No acumulado do ano-safra 2021/22, que começou em julho do ano passado, o Brasil embarcou 30,256 milhões de sacas, 16,5% a menos do que no mesmo período da temporada anterior

Porto Velho, RO - O Brasil exportou 3,622 milhões de sacas de 60 kg de café em março, 6,0% a menos do que no mesmo mês do ano passado, informou nesta segunda-feira (11), o Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé). Já a receita subiu 69,3% na mesma comparação, para US$ 865,1 milhões.

O presidente do Cecafé, Nicolas Rueda, afirma em nota que a alta da receita se deve à mudança da variedade de café embarcado.

A exportação de café canéfora caiu 64,6%, para 123,43 mil sacas de 60 kg, enquanto a de arábica subiu quase 1%, para 3,142 milhões de sacas – mesmo com o Brasil em período de entressafra – o maior volume dos últimos cinco anos.

“Com os altos níveis de preço do arábica, interna e externamente, as indústrias brasileiras fizeram um rearranjo em seus blends e vêm utilizando mais conilon (robusta), cujas cotações são menos elevadas”, informou Rueda. Com isso, é possível exportar mais arábica, que gera uma receita maior.

O executivo destacou também que foi possível elevar o volume embarcado apesar da menor disponibilidade de café em razão do “ligeiro avanço” no cenário logístico, possibilitando o embarque de cargas retidas em meses anteriores. “Entretanto, é imprescindível destacar que a situação logística ainda está aquém da normalidade, demandando muitos desafios aos exportadores”, alerta.

No acumulado do ano-safra 2021/22, que começou em julho do ano passado, o Brasil embarcou 30,256 milhões de sacas, 16,5% a menos do que no mesmo período da temporada anterior.

A receita subiu 29,5%, para US$ 5,901 bilhões. Rueda destaca que “as remessas na temporada 2021/22 são idênticas às registradas nos mesmos nove meses da safra 2019/20, última de ciclo baixo dentro da bienalidade característica do cinturão cafeeiro do Brasil”.

Já no primeiro trimestre de 2022, o volume embarcado teve queda anual de 7,8%, a 10,594 milhões de sacas; enquanto a receita cresceu 60,8%, a US$ 2,424 bilhões.

De acordo com a entidade, o conflito prolongado entre Rússia e Ucrânia já prejudica as exportações de café do Brasil – em março, o Brasil embarcou 19% a menos para a Rússia.

Ele cita “a paralisação dos trabalhos das agências marítimas na Rússia e o colapso na Ucrânia, além da retirada das instituições financeiras russas do sistema financeiro Swift, o que dificulta negócios com os parceiros locais”.

Os Estados Unidos se mantiveram como principal destino do café brasileiro no primeiro trimestre de 2022, importando 2,103 milhões de sacas – 3,3% a menos do que no ano anterior -, volume que representa 19,8% das exportações totais do Brasil no período. A Rússia caiu do sexto para o oitavo lugar em meio à guerra com a Ucrânia.

Fonte: Por Estadão Conteúdo

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu