Centro de Artes e Cultura Laio atende mais de 400 alunos na zona Sul de Porto Velho


Local disponibiliza aulas de música, balé, dança, artesanato e biojóias, entre outros


Porto Velho, RO - Após a experiência das atividades remotas, durante a pandemia da covid-19, o Centro de Arte e Cultura Escolar Francisco Lázaro dos Santos - Laio continua com os atendimentos aos alunos agora de forma presencial. O centro foi implantado pela Prefeitura de Porto Velho no ano de 2013 e fica localizado no bairro Castanheira, zona Sul da cidade.


Luiz Carlos de Souza, diretor da unidade

O local, que já atendeu cerca de 1 mil estudantes, atualmente conta com 416 pessoas matriculadas, nos turnos da manhã, tarde e noite. Todo trabalho é realizado por 34 servidores, entre eles, 14 instrutores e dois professores.

Conforme o diretor da unidade, Luiz Carlos de Souza, são disponibilizados cursos de pré-musicalização para crianças de 5 a 7 anos; musicalização infantil, de 8 a 10 anos; juvenil, de 11 a 17 anos e também atende o público adulto a partir dos 18 anos. Crianças e adolescentes estudam pela manhã e à tarde, e os adultos no período noturno, de segunda a sexta-feira.

Além dos cursos de piano, teclado, violão, guitarra e bateria, o centro disponibiliza aulas de balé, ginástica rítmica, danças, artesanato, confecção de biojóias e pintura em tela (artes plásticas). O município conta com mais dois Centros de Artes Integradas, Jorge Andrade, na região central de Porto Velho e Som na Leste (zona Leste).


Piano acústico e moderno foi uma aquisição muito aguardada

INCLUSÃO

Outro ponto importante é a existência de um projeto de inclusão social e cultural, voltado para atender pessoas com certas limitações, a exemplo de alunos com transtorno do espectro autista.

Também é desenvolvido um projeto de banda musical com os alunos. Ao mesmo tempo em que tocam diversos instrumentos, os integrantes realizam movimentos sincronizados e marchas.

MELHORIAS

Apesar de ter afastado os alunos e a equipe de trabalho, a pandemia não afetou o desenvolvimento do Centro de Artes e Cultura. “Conseguimos melhorias na aquisição de novos instrumentos, quadros para as aulas teóricas, toda uma estrutura interna, especialmente nas salas, para que o instrutor/professor e os alunos tenham a melhor aula possível, em um espaço confortável e agradável, com equipamentos de primeira qualidade”, comentou o diretor.

Outra conquista importante tem a ver com a aquisição de um instrumento que era muito aguardado pela direção do centro e pelos professores. Trata-se de um piano acústico e moderno, avaliado em cerca de R$ 40 mil.

MATRÍCULAS


O centro também disponibiliza aulas de balé

O chamamento para matrículas é feito por meio de editais que são publicados nas redes sociais do Centro de Artes e Cultura Integradas Francisco Lázaro dos Santos (Laio) e no portal da Prefeitura de Porto Velho. São disponibilizadas 80% das vagas para alunos da rede municipal de educação e 20% para outros interessados. Os alunos matriculados são aqueles que atendem aos critérios estabelecidos nos editais.

BENEFÍCIOS

Luiz Carlos afirma que a arte, de forma geral, ajuda de várias formas a vida de uma pessoa. “A música, por exemplo, melhora o cognitivo do aluno, a atenção e a concentração. Ele vai ser um aluno mais produtivo no ensino normal da rede municipal, por causa da questão da autoestima e desenvoltura na apresentação nos palcos”, afirma.

O diretor acrescenta que, na medida em que o aluno vai perdendo a timidez e melhora a concentração e a disciplina, ele vai se tornando um cidadão melhor. “A arte de forma em geral, traz todos os benefícios possíveis, ajuda os alunos a terem uma qualidade de vida melhor”, completou.

DEPOIMENTOS


Gabriel Rodrigues estuda violão

Entre os alunos matriculados no Centro de Artes e Cultura Laio está Gabriel Rodrigues, 13 anos, que apresenta transtorno do espectro autista. Matriculado em 2019, ele estuda violão com o professor Álvaro Júnior Ramalho e está indo muito bem.

“Estou gostando muito do curso, estou aprendendo a tocar. Era meu sonho aprender a tocar uma música, junto com a minha mãe”, disse, acrescentando que também gosta de bateria, piano, violino e saxofone, e que pretende mostrar seu talento onde tiver oportunidade.

“Gabriel faz parte do projeto de inclusão da escola Laio. Faz tempo que o Gabriel está aqui, ele já veio de outro professor e a gente começou a desenvolver um trabalho legal. A gente sempre vai incluindo aqueles que acham que não podem fazer parte da música na escola”, afirmou Júnior Ramalho.

O Centro de Artes e Cultura Laio fica localizado na rua Pau Ferro com rua Anari, bairro Castanheira.

Fonte: Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu