Grupo de Luiz Estevão pagou R$83 milhões pelas debêntures do ‘Correio Braziliense’


Sede do jornal Correio Braziliense - Foto: Google Street View.

Porto Velho, RO - As 42 debêntures do Correio Braziliense já foram transferidas na B3, a Bolsa de Valores de São Paulo, para uma empresa de filhos do ex-senador e empresário Luiz Estevão, que se transforma no credor da dívida, adquirida pelo valor R$83 milhões.

A informação movimenta os bastidores da política e dos meios empresariais de Brasília porque a sede do jornal, o mais importante da capital, está oferecida em garantia dos papéis.

Agora com o controle das debêntures, o jornal terá de realizar o pagamento da dívida ou sofrerá execução, segundo fontes da empresa.

A assembleia de debêntures foi realizada por meio virtual, nesta segunda-feira (13), já com a participação do novo dono dos papéis, que foi representado pela jornalista Lilian Tahan, diretora de redação do site Metrópoles, de propriedade de Luiz Estevão.

O negócio inclui apenas debêntures e a sede da empresa que as garantem. A operação do Correio continuaria ativa, no caso de a proposta de Estevão ser aceita, e sob controle dos Diários Associados.

O Diário do Poder apurou que no caso de execução da dívida, o grupo liderado pelo ex-senador descarta totalmente a instalação do Metrópoles no prédio onde hoje funciona o jornal.

Fonte: Por Cláudio Humberto

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu