Aprovação da PEC é vitória expressiva do presidente da Câmara


Sob articulação de Arthur Lira, governo conseguiu 469 votos favoráveis à PEC, votação mais expressiva que os 367 no impeachment de Dilma

Porto Velho, RO - A votação de 469 votos favoráveis à PEC dos Benefícios, que vai estender auxílios à camada mais pobre do país e criar vales para setores atingidos pela disparada nos combustíveis, é vitória expressiva para o governo Bolsonaro e também para o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), que, com a atuação fundamental, conseguiu para a PEC apoio maior que o impeachment de Dilma e até que a proposta (muito popular) de tornar obrigatório o pagamento das emendas dos parlamentares.

Ainda passaria

Só 14 deputados votaram contra a PEC dos benefícios. Segundo o deputado Eder Mauro, toda a oposição poderia ter votado contra.

Vs. Dilma

Em 2016, no impeachment da petista Dilma Rousseff, “apenas” 367 deputados federais votaram por cassar o mandato da então presidente.

Acesso fácil

Em 2019, sob Rodrigo Maia, 448 deputados votaram a favor da PEC do orçamento impositivo que, na prática, facilita o acesso a verbas públicas.

Há três anos

No segundo turno, em 2019, Maia conseguiu que 453 deputados votassem a favor. Apenas seis votaram contra.

Fonte: Por Cláudio Humberto

Postar um comentário

0 Comentários

Close Menu